sábado, 19 de março de 2011

Sexo,livros e rock n' roll

  ÓNÓISAQUITRAVEIZ! Pois é, dois posts no mesmo dia. " Mas essa nega num tem mais nada pra fazer, hein ...". Realmente, não tenho mesmo. Sou viciada na internet.
  O post que vem mais atrás, o " Todo carnaval tem seu fim", eu tava fazendo ele desde final de semana passado, e dele enrolar e enrolar. Mãããs o negócio é que essa semana, na aula de redação, eu fiz um poema.
  A gente tá estudando erotismo na literatura e na arte. E antes que me venha um engraçadinho malicioso de plantão, erotismo e pornografia são coisas diferentes. Erotismo explora a sensualidade, é uma coisa que sutil, discreto, que é romântico, indireto, enquanto que a pornografia é escancarado, vulgar, direto mesmo, peito,bunda, pau, vagina. Ó, falei nomes feios. Vão me excomungar do Blogger NÃÃÃÃÃOOOOO!!!!
  Sabe, é diferente quando você olha pra nudez de um homem ou de uma mulher, por exemplo. Tu pode babar, se excitar, se masturbar e querer partir pro ataque. Caso de pornografia tradicional, aquela coisa vulgar, bem fominha mesmo. Ooooooouuuu tu pode observar e prestar atenção em cada detalhe que compõe uma imagem de nudez, conseguindo descrever sutilmente de uma forma bonita essa informoção caliente que o cérebro recebe.
   E eu acho preconceituoso a visão que as pessoas tem de erotismo. Este termo é usado de uma forma errônea pela sociedade, assim virando algo proibidão para crianças e jovens adolescentes. Isso por causa da pornografia. No Brasil, a pornografia é explícita não só em imagens, mas em palavras também.
   " O meu nome é Valeska e apelido 'quero dá' !", " Vai rolar um adultério", " Vai ficar enfeitiçado quando eu empinar o bumbum", " Vou voltar pra sacanagem, pra casa de massagem" , " É a groupie mais gostosa e eu não comi", "Bota pra fuder" . Isso só pra citar alguns ( porque tá tudo me fugindo à cabeça agora). Se tu me disser que isso não é pornográfico, sinal de que você tem probleminha.
    Depois, não adianta reclamar se até o teu primo de 5 anos tá fazendo a dança do créu. Depois, não reclama que a guria apareceu grávida já.
    Pode ter muita erotismo na música, mas a pornografria tem um campo considerável. A questão é: elas andam de mãos dadas muitas vezes.É, porque o erotismo não precisa necessariamente da pornografia. O erotismo pode tornar uma coisa aparentemente banal em algo sensual. Tipo um movimento no cabelo, o jeito de pegar um copo, uma marquinha de vacina, enfim, n coisas ( que me fogem à cabeça também).
    Isso é no nosso cotidiano. Tem pessoas que passam do limite, tem outras que sabem seus limites.
    E na minha aula de português, estamos estudando isso (só agora que eu aprofundei mais um pouco). E lemos muitos poemas eróticos. Então fizemos 3 redações ( repito, 3 redações) usando discurso erótico. As duas primeiras usamos intertextualidade, usamos fragmentos de uma poesia para saber combinar as palavras e entender esse discurso. O terceiro nós tínhamos que criar um poema erótico. Sem apelar para o vulgar, para a pornografia. Sabendo usar as palavras certas, sendo leve e sutil, abusando de imagens físicas,espirituais e sensitivas. Tudo isso no entuito de expressar o desejo pela pessoa amada.
   Complexo, né? Pra mim, até que não. Ando descobrindo um talento para poemas. Quando eu era mais nova, achava chato pacas. Me dava um poema do Mário Quintana, eu te dava um tiro. Mas de uns tempos pra cá, isso vem mudando. Talvez devido ao fato de eu ir amadurecendo e entendendo o sentimentalismo, entendo um pouco de amor ( Jack Love uhu!), me tornando um pouco sentimentalista. Até chorei já em dois filmes e dois seriados ( sei contadinho porque não tenho esse hábito manteiga-derretida).
   Só sei que hoje eu consigo entender melhor o que as palavras querem dizer, e consigo entender melhor a escrita. Ciências humanas é comigo mesmo (tá, me gabei um pouco...).
   Sendo assim, quero mostrar a redação número 3 que fiz em aula. O poema. Cá está :

                                                    Eu vejo


    Olhe lá quem eu vejo !
      Vejo a estudante do cursinho
      Comendo sorrateiramente seu picolé
      Do qual eu queria ser um pedacinho


      Olhe lá o que vejo !
      A virgem Maria, de cantinho me piscando
      Rodeada por anjos cheios de malícia
      Com fogo queimando e imaginação delirando


      Olhe lá onde vejo
      A vizinha parada na esquina
      Com uma saia e decote fora do comum
      Dançando pro cara da propina


      Olhe lá como eu vejo
      A garçonete do restaurante
      Andando com maestria em seus patins
      Mostrando que curvas já tem o bastante


      Olhe lá quando eu vejo
      A moça tocando o violão
      Fazendo o estilo pin-up
      Tocando um gostoso rock com demasiada paixão


      Olhe lá por que eu vejo
      Essas moças que na cidade se espalham
      Com certeza porque em algum dia de suas vidas
      Por mim apaixonadamente chamavam


   Pra mim, foi algo fácil. A inspiração não me falhou. Nem as rimas, já que faço elas em casa com a minha mãe. E as tem pessoas que não conseguem isso assim. Por essas e outras que eu aconselho: leiam sempre. Qualquer coisa, até bula de remédio. Conheça as palavras. Olhem televisão. Parece inútil às vezes, mas ela te dá conhecimento. Retenha as informações que vêm simultaneamente e tenha a capacidade de diferenciar, de discernir.
   Se eu sou assim como eu sou, é porque eu assisti muita televisão (até demais),procurava ler sempre e pesquisei muitas coisas com tio Google tia Wikipédia ( não tinha mais nada pra fazer, então ganhar conhecimento era uma boa).
   E não saiam da escola. Isso é importante.
   E VIVA O ROCK N' ROLL EM TODAS AS SUAS VERTENTES!

Nenhum comentário:

Postar um comentário