segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Um período sabático selvagem

 Eis-me aqui para escrever mais um post.

                                                                  [...]

  Desde o começo do mês de fevereiro, minha residência agora se é em Tramandaí, vulgo a capital das praias. Como já contei neste blog há um ano atrás, eu passo a maioria dos meus verões nesta humilde porém próspera cidade. Sempre alocada num camping onde tenho muitos amigos e conhecidos desde muito tempo, de modo que a solidariedade reina.
   Bem, pra resumo de conversa, minha família foi pra Porto Alegre, assim me deixando sob os cuidados do meu vô e dos vizinhos de barraca. Mas a princípio, estava sozinha. Tinha ganhado uma barraca de presente de natal da minha mãe e agora estava usando-a para passar meus dias no camping. No tempo que eu fiquei, não tinha aquela galera que sempre tem. E isso me deixava mais quieta no meu canto. Aconteceu de eu passar a maior parte do tempo na barraca vegetando, pensando na vida. Pude refletir muito sobre quem eu sou ou quem eu quero ser em um futuro muito próximo.
   Sabe, no dia 29 de dezembro do ano passado, finalmente realizei um feito que há muito queria fazer: cortar o cabelo. Eu queria cortar faz tempo, porque meu cabelo ficou todo errado devido a muitos processos químicos que eu fiz. Liso na maioria e crespo no couro cabeludo. Então, chegou o dia. Cortei meu cabelo, assumi meus cabelos crespos e tipo ficou um black power médiozinho. Sabe a Sheron Menezes, a atriz ? Cortei o mesmo estilo de cabelo. Só faltou fazer luzes pra dizer que era imitação.
    Mas enfim, minha mãe me disse que com a mudança de visual teria que me tornar mais feminina, ter mais atitude. O que ela queria com isso? Sei lá, talvez me transformar em alguma bonequinha ou alguma coisa assim. Cara, eu não vou virar uma bonequinha, mas com certeza eu quero explorar mais minha feminilidade (o que já tenho feito há um bom tempo). Quanto à questão de ter mais atitude, ainda continuo sendo a mesma ameba de sempre fazendo as mesmas coisas de sempre. Quero dizer, não que eu seja ameba ... Sou uma pessoa legal até, mas sou tão legal que as pessoas abusam e sem contar que ainda me falta um pouco de coragem. Cantar na frente de um público, falar e fazer gracinhas na frente de todo o ensino médio,   dançar macarena em público, esses méritos já consegui por ter tido algum coragem. Quero me arriscar a dar mais a cara à tapa, não ter medo de ser feliz, expor o que penso e o que eu sinto.
    Por isso, este post é um ultimato para eu mudar de posição, arriscar e mostrar o que tenho a oferecer. Se não fizer isso, já tá de bom tamanho ser assim como eu sou.
    Bem, pensei nisto, nas minhas aulas que começam daqui a dois dias, fiquei lendo umas revistas que comprei numa banca (me poupe de revistas femininas açucaradas, é TPM e SUPERINTERESSANTE), fiquei ouvindo a exaustão o playlist do meu celular, vi uns filmes no netbook e fiz 3 poemas. Isso mesmo, 3 poemas e tudo num final de tarde só. Poemas estes que colocarei aqui dia desses.
    Resumindo tudo, estes dias sozinha na barraca foi mais um periodo sabático selvagem. "Sabático" pra refletir sobre mim mesma e o que acontecia em minha vida "selvagem" porque bem, um camping pode ser calmo e tranquilo, mas ainda há uma porção selvagem a contar pela mata, bichinhos chatos e pelo temporal que me fez sair da barraca e me encharcar toda pra proteger minha moradia armada com lona em volta. E eras isso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário